topo ivonete 202009

Publicidade
Cheila Naves

Cheila Naves

Mãe de três filhas, Cristã, Professora do IFTO, Empresaria de uma academia exclusivamente feminina. Foi a primeira coordenadora do projeto social internacional Brasil - Canadá, que trabalhava com mulheres em estado de vulnerabilidade.

Com 1.095 docentes efetivos e 859 técnicos administrativos, a UFT possui um quadro de profissionais que constroem a sua história junto à universidade desde o processo de sua criação. São centenas de profissionais que se formaram na instituição e continuaram suas trajetórias somando e contribuindo com o crescimento e consolidação da UFT.

Alice Agnes Mota é uma dessas pessoas. Ela que foi aprovada em três concursos públicos da UFT, um para técnico em 2006, um para professora em 2013 e outro para professora em 2014, afirma que viveu a universidade em quase todas as suas perspectivas - como aluna de graduação, de pós-graduação, como servidora, como docente e como gestora, coordenando o curso de Jornalismo de 2017 a 2019.

Com o objetivo de construir laços de cooperação e solidariedade ao abordar a saúde mental dos estudantes, começa a ser ofertada, a partir de 10 de abril, a disciplina “Prazer e Sofrimento na Universidade”. A disciplina, que é optativa, será oferecida, neste semestre inicial, aos alunos dos cursos de Jornalismo e de Administração. Serão ministradas 18 aulas, sendo 14 presenciais e quatro na modalidade de Ensino à Distância (EaD).

Foram disponibilizadas 30 vagas pela Matrícula Web – e a procura já excede o número da oferta. A ideia, no entanto, é estender a oportunidade para outros cursos da UFT. “Acredito que iremos caminhar para ser uma disciplina intercursos de apoio aos discentes, que terão um espaço de fala e escuta para as suas dores”, revela a professora Liliam Deisy Ghizoni, responsável pela disciplina.

Com o intuito de promover o incentivo ao protagonismo indígena por meio da formação acadêmica, partindo do pressuposto da necessidade de formar profissionais qualificados e inseridos em contexto politico e socioculturais e que ainda colaborem com a luta pela conquista da autonomia e da sustentabilidade de seu povo é que o curso de Direito da Universidade Federal do Tocantins (UFT) realizará uma programação especial no dia 16 de abril.

O evento faz parte do Projeto de Extensão Indígena na Universidade: “uma reflexão consciente ao incentivo e adaptação juvenil do ingresso nas universidades”. De acordo com os organizadores do evento, na ocasião alunos da 3° e 4° série do curso técnico de informática e enfermagem do Centro de ensino médio indígena Xerente Wara (Cemix) farão um tour pela universidade, conhecendo diversos projetos realizados pela UFT e inteirando-se das possibilidades que estão ao seu alcance.

Publicidade

Colunistas

Acesso Restrito

Contato

© Todos os direitos reservados. Ivonete Eich / Coluna VIP Tocantins | 2013-2017.

Desenvolvido por OceanoAzul 100x27